FROTA: “A aventura da vida é trabalhar com o outro”

de de
unnamed

O Brasil inteiro conhece Marcos Frota por seu protagonismo na TV e no teatro. No entanto, Frota também é empreendedor no segmento cultural, com projetos voltados ao circo contemporâneo. E é essa experiência que ele vai trazer para o 5º EGESCON (www.egescon.com.br), no dia 13 de junho em Porto Alegre. Confira a entrevista com o ator e empresário:  

SESCON-RS – Qual a semelhança em dirigir um circo e uma empresa? Quais os desafios?

MARCOS FROTA – O mundo está totalmente interligado. Todas as atividades buscam umas nas outras, experiências que possam contribuir para a reinvenção de todos os segmentos. O maior desafio para quem lidera é gostar de gente e saber lidar com elas. Ninguém faz nada sozinho. Saber formar um time, dividir a responsabilidade e sonhar junto é grande desafio de quem gerencia. No circo a gente não tem sonhos, temos metas a serem atingidas em equipe. A aventura da vida é trabalhar com o outro. Então a primeira condição é estar disponível para essa aventura que é viver junto.

SESCON-RS – Além do circo, tu atuas em projetos sociais usando a temática circense. Como é esse trabalho?

FROTA – Eu criei um programa chamado Universidade do Circo, a UNICIRCO. Hoje com sede própria no Rio de Janeiro e com alguns núcleos da Universidade viajando pelo país. A UNICIRCO foi a maneira que eu encontrei de retribuir tudo aquilo que eu recebi em 30 anos de carreira. Hoje o que me dá mais prazer é formar e contribuir com a formação artística de uma nova geração desse universo de artistas que tem o picadeiro como foco. É uma missão que eu abraço com amor, porque me confere a cidadania e dá um sentido diferente para tudo o que eu já fiz.

SESCON-RS – Qual a tua opinião sobre companhias de circo contemporâneo, como o Cirque du Soleil?

FROTA – O Cirque du Soleil é uma referência, pois apontou um novo caminho para atividade circense no mundo. No Brasil, temos muita gente boa que contribui para a renovação da cena do Picadeiro. Fico orgulhoso por ter contribuído para inovações como a tirada de animais do picadeiro, a presença do diretor artístico, do coreógrafo, enfim. Uma gestão inovadora reflete na criação artística. Novas escolas estão surgindo, intercâmbio com novos segmentos artísticos, isso tudo faz da arte circense a mãe de todas as artes.

SESCON-RS – Quais são os planos do Marcos Frota para os proximos anos?

FROTA – Eu confesso que já realizei praticamente todos os meus sonhos, como artista, como pai, como cidadão, mas falta um: quero levar o circo para o cinema, quero colocar o circo ao lado de todos os outros segmentos artísticos. E nada melhor para isso do que colocar o circo em novas mídias. Estou me preparando para roteirizar um filme que reverencia a importância do espetáculo circense através dos tempos. Um projeto ambicioso, mas cada vez mais próximo.