OLIVIER: Um francês com ousadia e pioneirismo para empreender no Brasil

de de
EMKT - Oliver

Em 1979, Olivier Anquier visitou o Rio de Janeiro e se apaixonou pelo Brasil. Essa paixão o fez largar a sua França natal para se aventurar em solo brasileiro. Considerado um dos mais talentosos modelos internacionais da época, foi na gastronomia que se descobriu. Seu primeiro restaurante foi nas areias do Ceará, onde pode adquirir experiência para alçar seu grande voo: ser um expert em pães! Motivado pela tradição da família e pela experiência obtida em diversos países que frequentou, Olivier tornou-se referência como padeiro, chegando a atender uma das maiores marcas do país: o Pão de Açúcar. Juntamente com a profissão, iniciou a carreira na televisão, sendo hoje uma grande referência de culinária no Brasil e também no exterior. Confira abaixo a entrevista com o palestrante do 5º EGESCON, no dia 14 de junho em Porto Alegre:

SESCON-RS  – O empreendedorismo sempre esteve contigo, desde que pisaste em solo brasileiro. O que mais te marcou em tuas experiencias a frente de um negócio aqui no país?

OLIVIER – Como um imigrante, uma pessoa que veio de outra cultura, de outro país, tive como primeiro desafio a adaptação, a observação enquanto me adaptava e sentia o lugar e a cultura onde estava chegando. É importante observar e ter curiosidade de olhar em volta da gente e ver o que está faltando e o que nós podemos fazer de empreendimento. Encontrar algo diferente e que falte no local para poder somar e fazer algo novo.

A movimentação para construir acaba sendo muito mais trabalhosa: tem os desafios da nova língua, da cultura, de estar sozinho, longe da família, dos amigos, etc. Por isso é importante que a pessoa tenha em sua personalidade a capacidade de enfrentar a adaptação.

SESCON-RS – E tua presença na TV? Quais as principais semelhanças com os teus empreendimentos?

OLIVIER – A principal semelhança é o desafio. Não inventei a televisão nem os programas de Culinária na TV, apesar de ter iniciado um formato moderno de gastronomia na televisão. Quando iniciei o Diário de Olivier, o desafio era de mostrar os brasileiros, que à época só olhavam para o primeiro mundo quando o assunto era culinária. Queria mostrar a particularidade, a valorização e a magia do cotidiano dos brasileiros que para mim, como uma pessoa de fora, são coisas surpreendentes. Por isso fiz um programa que viajava pelo Brasil apresentando essas particularidades culinárias que fazem parte do dia a dia do brasileiro, mas que na época não se dava o devido valor. Outras semelhanças, seja na TV ou nos meus negócios, são o pioneirismo e a ousadia. É preciso ousar!

SESCON-RS – E as diferenças?

OLIVIEIR – A principal diferença está nas pessoas que trabalham a TV com um perfil mais artístico e os trabalhadores do negócio tradicional. A diferença está na forma de estabelecer o relacionamento. A qualidade do relacionamento tem que ser a mesma, mas o modo de fazê-lo é totalmente diferente.

SESCON-RS –  O que o Olivier está preparando para o público do 5º EGESCON, no dia 14 de junho, em Porto Alegre?

OLIVIER – Dia 14 de Junho no EGESCON farei uma palestra colocando minha realidade como empresário e mostrando minha história autodidata, de um estrangeiro se instalando no Brasil sozinho, sem nunca ter feito estudo acadêmico. Mas sempre seguindo sua personalidade e instinto para criar uma vida de empresário e adquirindo a experiência para passar aos demais, através dessa história. Cada momento vivido com meus empreendimentos foram uma experiência diferente e todas consolidaram minhas particularidades como empresário. E isso vou levar ao público em Porto Alegre.