“Talentos e competências ocultas podem nascer durante tempos de crise”

de de
SESCON-RS - Renato Martins no Egescon 2017

Você sabia que o cinema pode servir de exemplo para novas práticas no ambiente de trabalho? O diretor de jornalismo da Rede Bandeirantes e expert da “nobre arte”, Renato Martins, vai falar sobre isso no 5º EGESCON (www.egescon.com.br). Confira abaixo a entrevista com ele:

SESCON-RS – Qual a mensagem que a palestra Luz, Câmera, Equipe em Ação irá trazer para o público do 5º EGESCON? 

RENATO MARTINS – Quero levar a mensagem de que realizar as coisas com bom humor, olhar positivo e visão otimista é sempre melhor e mais produtivo do que se agarrar à conceitos negativos e antigos. Respeitar os princípios básicos da gestão, adicionando um estilo pessoal e construtivo na liderança de equipes pode trazer muito mais resultados do que se imagina. Isso melhora processos e pessoas. E para isso, uso trechos de clássicos do cinema como exemplo.

Também acredito e quero que as pessoas se empolguem em buscar seu foco de seu propósito no trabalho. Que achem prazer nas coisas que fazem. Se nossa rotina nos impõe problemas e obstáculos, porque piorar ainda mais com pessimismo e negatividade? Vamos olhar pra frente e ver o que pode ser construído, em vez de ficar reclamando e lamentando o passado. Vamos mudar a frequência?

SESCON-RS – O cenário político, econômico e social brasileiro vive momentos turbulentos. É possível promover a alteração desse paradigma, a partir de mudanças comportamentais em cada indivíduo? Como? 

RENATO MARTINS – Não é só possível como necessário. Deixar se abater pela crise só vai levar para o último lugar da lista. Sua equipe vai se desmotivar, você vai perder parcerias vitais e seu negócio vai parar no tempo. A crise dá oportunidades para buscar alternativas, dar vazão à criatividade, e descobrir muitas coisas diferentes e construtivas. Talentos e competências ocultas podem nascer durante um tempo de crise. Ao deixar a crise tomar conta de si, o líder enfraquece e afeta o rendimento de sua equipe. Acreditar que pode virar o jogo é vital para a sua sobrevivência.

SESCON-RS –    É preciso agir positivamente. Como o empresário pode trabalhar essa questão junto aos seus colaboradores, na rotina de seus negócios? 

RENATO MARTINS – Acreditando nessa ideia. Acreditando que o poder do pensamento positivo pode mudar as coisas. Acreditando que isso não é filosofia, religião ou credo. É científico. Quando você reverte a espiral do negativo para o positivo, você muda a vibração do ambiente, a equipe melhora em sua produtividade e as coisas começam a acontecer. Inspirar seus liderados é fundamental. Dar exemplos. Agir com ética e determinação, acreditando em seu propósito de vida – ou de trabalho. Ou as duas coisas.   

SESCON-RS –   Mesmo sendo uma arte ficcional, o cinema em dados momentos também retrata passagens reais do cotidiano. Na tua opinião, a atual safra de filmes tem proposito? Passam mensagens e conteúdos positivos? 

RENATO MARTINS – O cinema nos faz sonhar e nos dá prazer ao concretizar uma série de fantasias. Nos provoca prazer e riso, emoção e até medo. Por isso é mágico. Assistimos filmes porque sabemos que, às vezes, o final será feliz. Quando o filme é mais real, nos ajuda a entender e refletir em cima do que acontece com nossas vidas. Para mim, os grandes clássicos têm muito conteúdo emblemático e que dão lição de vida. Depois deles, a safra dos anos 80 nos oferece também grandes cenas de cinema. Em minhas palestras ainda uso filmes dos anos 90 e 2000. Infelizmente, tenho procurado algo mais recente e não tenho encontrado. Parece que o cinema internacional entrou num marasmo muito grande e não nos oferece grandes conteúdos para permanecerem em nossas memórias. Há exceções, obviamente, mas não se comparam aos grandes filmes do século passado.