“Devemos usar a tecnologia a nosso favor”

de de
180126jucis2

SESCON-RS e JUCIS realizaram em encontro para esclarecer ferramentas e operações da Junta Comercial. Com grande presença de público no Centro de Eventos SESCON-RS, a tarde de trabalho também foi transmitida ao vivo, via Youtube. Confira abaixo, entrevista com a diretora, Ana Paula Mocelin, que coordenou o encontro pelo SESCON-RS. Não conseguiu comparecer, nem assistir pela internet? Não tem problema! Clique AQUI  e tenha acesso a todo o conteúdo!

SESCON-RS – Em linhas gerais, qual a tua opinião sobre o evento?

ANA PAULA MOCELIN – Um dos pontos a destacar foi a metodologia utilizada para as perguntas. Com a intenção de trazer um curso mais produtivo e com o conteúdo voltado para as necessidades dos nossos associados, foram realizadas cerca de 30 perguntas prévias, nas quais os participantes puderam enviar suas dúvidas preliminarmente. Assim, o conteúdo já foi voltado para os interesses do público presente.

Ainda durante o curso, recebemos mais 80 questões, por meio do whattsapp. As mais simples foram respondidas diretamente no aplicativo pelo diretor de registro da Jucis e outras em interação com o grande público ao longo da tarde. Importante destacar o tempo destinado às perguntas, que representou cerca de 40% da carga horária total do evento.

 

SESCON-RS – A Junta Digital ainda gera muitas dúvidas nos contadores?

ANA PAULA – A Junta Digital trará muitas vantagens para os usuários dos processos da JUCIS/RS. Nós, profissionais da área, precisamos utilizar essa ferramenta e nos convencer dos benefícios utilizando-a na prática. Alguns dos benefícios, por exemplo; economia de tempo, de deslocamento até a junta comercial, economia de papel, e maior agilidade na análise dos processos pela junta. A junta também estará disponível a qualquer momento pela internet, o processo pode ser protocolado a qualquer hora do dia e da noite. Devemos utilizar a tecnologia a nosso favor.

 

SESCON-RS – Os principais erros da FCN foram esclarecidos?

ANA PAULA – Sim, a Junta apresentou os principais erros do dia a dia e explicou cada situação individualmente. O erro é normalmente de preenchimento, de falta de conferência e revisão da FCN depois de preenchida pelo profissional.

 

SESCON-RS – Qual a tua opinião sobre o contrato social pré-aprovado?

ANA PAULA – O contrato padrão (pré-aprovado) tem a intenção de agilizar ainda mais o registro, pois dispensará a análise de um assessor técnico ou vogal. Se o contrato utilizado for padrão, ele já estará pré-aprovado pela junta, além de diminuir muito a incidência de erros com preenchimentos de informações repetidas. Ainda haverá a possibilidade de incluir mais cláusulas no contrato, ficando assim sujeito a análise dos analistas da Jucis acerca da legalidade do ato.